Mitzvot e Costumes

Kriat Meguilat Ruth: é costume ler uma parte da Meguilat Ruth (livro de Ruth), antes mesmo de se ler a Torá, pois acredita-se que esta data marca também o dia da morte do Rei David. No começo da Meguilá, é contada a história dos antepassados de David, que pertence à família da qual, acredita-se, descenderá o Mashiach (Messias).

Tikun Ieil Shavuot: conta-se que Moshé (Moisés) deve ter conduzido bnei Israel (os filhos de Israel) por três dias antes de realmente receber a Torá. Após grandes preparativos para o importante evento, como Moshé não aparecia, o povo ficou indiferente. Para “consertar”, simbolicamente, tal indiferença, costuma-se ficar acordado durante toda a noite anterior e a noite de Shavuot, para estudar a Torá, lendo o Tikun leil Shavuot, que é uma compilação do Tanach, da Mishná e
do Talmud (livros importantes para o judaísmo).

 

Espirrar água: este costume é realizado em comunidades que vieram
ao Oriente Médio, quando as pessoas espirram água
umas às outras, relembrando que a Torá é comparada à
água: maim chaim (água que representa a vida).

 

Introdução da criança no estudo da torá: em comunidades originárias da Europa Oriental, realiza-se tal costume em forma de cerimônia; quando o menino completa cinco anos, seu pai o leva para o Beit Haknesset (sinagoga), em Chag Matan Torá (um dos nomes de Shavuot), e o entrega ao rabino, que lhe mostra um pergaminho com as primeiras letras do alfabeto hebraico, alef-beit. O rabino lê para a criança as letras de frente para trás e de trás para a frente, espalhando
mel por sobre as letras, para a criança provar e sentir que as palavras da Torá são doces como o mel. Para encerrar, é também costume comer o bolo do Har Sinai (Monte Sinai), bolo de mel com amêndoas e passas. As crianças que aprenderam a ler começam, neste dia, a estudar o chumash, Pentateuco, ou os 5 primeiros livros do Tanach (livro bíblico judaico composto pela torá, escrituras e textos de sábios).

Ouvir a leitura das Asseret Hadibrot: A Revelação no Har Sinai foi uma experiência profunda que inspirou reverência. Todo o Universo, dizem nossos sábios, tremeu com o forte som do toque do shofar (instrumento de sopro feito de chifre de carneiro). Trovões e relâmpagos cruzaram os céus. De repente, o silêncio. Para que se torne concreta para as crianças a importância deste acontecimento, a escolha do povo, a escolha do local e do tempo, sendo que nosso objetivo é que a criança sinta a ligação e a pertinência a bnei Israel e sua cultura, podemos usar alguns comentários que foram escritos por nossos sábios, z”l (zichronam livrachá, de abençoada memória): a situação era tão emocionante que o mundo todo: seres vivos, o mar, o vento e os anjos ficaram estagnados, paralisados. E, no meio do silêncio absoluto, ouviram-se vozes e raios e um som de shofar muito alto. Naquele instante, foram entregues por Moshe Rabenu, que havia escalado a montanha, as Asseret Hadibrot (dez mandamentos), que são os princípios da nossa religião. E todo o povo via os trovões e as tochas e o som do shofar, e o monte fumegante; e viu o povo, e tremeu, e ficou de longe.

→ Em Shavuot costuma-se enfeitar a casa e a sinagoga com frutas, flores e folhagens para recordar o grande florescimento que aconteceu no Monte Sinai durante a leitura dos Dez Mandamentos.

→ Também é costume na primeira noite de Shavuot que judeus se dediquem a noite inteira ao estudo da Torá, principalmente na leitura dos Dez Mandamentos:

1) Eu sou o Eterno teu D' us que te tirou do Egito

2) Não terás outros deuses e estátuas diante de Mim

3) Não jurarás no nome de D'us em vão

4) Lembrarás e respeitarás o dia do Shabat

5) Honrarás teu pai e tua mãe

6) Não matarás

7) Não cometerás adultério

8) Não roubarás

9) Não darás falso testemunho

10) Não cobiçarás

 

→ Temos como costume em Shavuot, comer alimentos derivados do leite. Como a Torá foi entregue no Shabat, nenhum animal podia ser abatido e os utensílios não podiam ser kasherizados, portanto neste dia come-se laticínios.

  • Preto Ícone Snapchat

(11) 3818-8867

Avenida Doutora Ruth Cardoso, 1000 - Jardim Paulistano, São Paulo - SP, 01455-000, Brasil

©5780/2019 por Centro Juvenil Hebraikeinu. Chazak Ve'ematz!